OM Chanting, Amor, e Apegos

Thumbnail

"Quando o Atma Ama, não é o gênero externo que conta. O Amor está além do gênero! Quando as pessoas estão na mente e se apegam ao gênero, há muito julgamento. Mas quando alguém transcende isso e vê profundamente dentro de seu âmago, vê-se que o coração não conhece diferença. Você pode Amar e esse Amor é o que importa"

-Paramahamsa Vishwananda

31 de março foi o Dia Internacional da Visibilidade Trans. Vários grupos ao redor do mundo participaram neste dia e nos dias seguintes com a seguinte intenção:

Nossa intenção é ver que o Amor existe além da estrutura da expressão e identidade de gênero. A natureza da alma é o Amor. Há apenas Amor e Amor não pode discriminar, só pode Amar. Quando entendemos isso, percebemos que o Amor está além de todo  gênero ou outra identidade material. Nosso desejo é conscientizar as pessoas de que o Amor é o caminho para todos, incluindo as pessoas LGBT. Apesar de muitas injustiças da sociedade e grupos religiosos, Deus não esqueceu e nos ama a todos igualmente.

Nos dias que antecederam este OM Chanting em particular, eu me vi refletindo sobre os apegos. Apegos à identidade, ao gênero, aos conceitos de certo e errado. Nós nos apegamos a essas coisas como se elas constituíssem quem realmente somos. Quando na realidade, tudo o que fazem é nos esconder de nós mesmos.

Isso são os apegos. Eles se disfarçam como racionais. Nossas mentes farão grandes esforços para nos convencer disso. Eles se disfarçam tão bem, que muitas vezes não reconhecemos nossos apegos pelo que eles são. Tome o gênero como exemplo. Nós nos ligamos às nossas identidades de gênero. Entendendo nosso lugar no mundo, nossos relacionamentos e nossas interações através de uma lente de gênero. Nós nos ligamos a noções morais de certo e errado, muitas vezes em relação ao nosso gênero. Subsequentemente, nós nos ligamos a comunidades que agem como reflexos de nossos próprios valores e identidades. E as comunidades são definidas tanto por quem está do lado de fora quanto com quem é permitido entrar. Que confuso são os apegos.

Com estes pensamentos circulando em minha cabeça nos dias e horas que antecederam este OM Chanting específico, cheguei a refletir sobre a beleza e graça que OM Chanting nos proporciona.

Este OM Chanting serviu como um lembrete de que o Amor é paciente. O Amor é gentil. O Amor não enfurece. O Amor não faz mal. O Amor não discrimina. O Amor só pode Amar. É uma prática aberta a todos nós, independentemente de nossos apegos à identidade, ao eu e à comunidade. Da maneira mais gentil e compassiva, ele nos ajuda a renunciar a esses apegos e identidades. Isso nos lembra de que o Amor de Deus está aberto e disponível para todos nós, aproximando-nos de nossa verdadeira natureza que é o Amor.

Quando você for ao OM Chanting, procure a Deus em cada pessoa ao seu redor, incluindo você mesmo. Procure além das identidades materiais e de suas próprias. Tente ver o Divino sentado dentro de cada pessoa presente.

 


Blog »