Ritual e Rotina

Thumbnail

´A devoção não é apenas algo superficial: há profundidade nela. Mesmo que pareça bem superficial quando você não sente muito e sua oração parece mecânica, na realidade, não é! Até o proferir, o entoar dos Nomes Divinos não é meramente superficial. Em sua profundidade, está limpando as impurezas que carregamos ao longo de muitas vidas.´

-Paramahamsa Vishwananda

Comentário, Sri Guru Gita, Verso 1
 

Eu ouvi muitas pessoas lutarem com o seu sadhana, chamando-o de mecânico ou vazio. Eles descrevem uma resistência em relação a isso. Pensam ser algo que fazem só por fazerem há muito tempo ou fazem por obrigação.

Muitas pessoas praticam inevitavelmente pois se lembram do primeiro gosto de doçura. Eles se lembram de como este mantra foi sentido no começo, o modo como eles se tornaram tão cheios de amor e alegria. Buscando sair dessa prática mecânica, eles continuam esperando que algo mude novamente.

Este é um lugar difícil de estar. Eu estive lá. Eu ainda não conheci um praticante de sadhana que não esteve lá. Na minha prática e nas histórias contadas por outras pessoas, aprendi que a maioria das coisas vem em ciclos até aprendermos a sair deles. Vida e morte. Acordar e dormir. Com o sadhana, parece haver um ciclo de ritual e rotina.

O ritual parece sagrado. Quando meu sadhana parece com o um ritual eu estou presente totalmente na prática. Cada ação cria a próxima, um crescimento sagrado levando-me para a próxima parte do meu dia ou da noite. Nada parece completo sem isso.

A rotina parece mecânica e vazia. Quando meu sadhana parece como uma rotina, minha cama parece incrivelmente acolhedora. Aquele livro que ficou na minha estante, intocado por semanas, de repente parece interessante novamente. Minha mente está em nenhum e em todo lugar. Eu tenho que me convencer do ato de sentar para o meu sadhana. Mas eu faço de qualquer maneira porque sei que há algo mais do outro lado da rotina. Eu vi e experimentei.

Eu não aprendi o segredo de manter o ritual todos os dias. Eu não descobri como evitar o sentimento mecânico de rotina. Eu definitivamente não sei como sair do ciclo ou o que se parece. Existem algumas lições que aprendi neste ciclo de rotina e ritual que me ajudaram a sair da rotina em favor do ritual.

O que você precisa fazer para estar presente. 

Quando a sua prática parece mecânica, é frequentemente causada por não estar presente. A mente está em toda e qualquer outra parte. Quando isso acontece, você não pode aproveitar.

Desligue seu celular. Escreva sua lista de tarefas antes da sua prática. Escreva em seu diário. Entoe o japa bem alto e depois, gradualmente, fique mais calmo até que você esteja entoando internamente. Tudo o que você precisa fazer para estar presente, faça isso.

A rotina pode ser seu melhor amigo nos dias em que o ritual não vem.

Às vezes, não importa o que você faz, ainda parece uma rotina. Se este for o caso, mude a maneira como você pensa sobre isso. Pense na rotina como uma expressão de disciplina, que é em si uma expressão de amor.

Ser disciplinado em sua prática de sadhana é dizer: 'Eu vou aparecer, eu vou estar aqui, eu não vou esquecer porque eu faço isso'. Isso mostra a Deus que você está disposto a colocar o esforço, mesmo quando fica difícil.

O caminho espiritual não é linear.

Não é um tiro direto para o Supremo. Pode ser confuso e caótico. Essa é uma das muitas razões pelas quais temos uma prática de sadhana. Nosso sadhana nos mantém ancorados no caminho espiritual para que, mesmo quando ficar confuso e caótico, você ainda tenha os pés firmemente enraizados em seu sadhana e sua mente firmemente em seu objetivo.

Eventualmente, você encontrará seu caminho de volta para uma prática que parece mais um ritual. Talvez todos seremos abençoados por sair completamente do ciclo. Até lá, tenha disciplina e esteja presente. Faça o seu sadhana e dê-lhe o seu amor e melhor nível. Deus fará o resto.


Blog »