O que a sua mente faz quando ninguém vê?

Thumbnail

“Uma mente sob controle é seu melhor amigo", disse Krishna no Bhagavad Gita. “Mas uma mente sem controle é seu pior inimigo."

Então pensei: vamos tentar fazer minha mente meu melhor amigo. Conhecê-la melhor. Pois se ela falhar pelo menos conhecerei melhor o "inimigo".

A mente é um viajante por natureza. Anda constantemente de um lugar para outro através da floresta complexa das experiências de nossa vida. Todo pequeno gatilho sensorial, toda sensação de prazer ou repulsa, pode mudar sua trajetória em uma fração de segundo. Através de práticas espirituais, especialmente o japam, a repetição constante de um mantra, buscamos conscientemente trazê-la de volta ao momento presente e à lembrança do Divino. Quanto mais praticamos a repetição do mantra com a respiração, menos tempo e espaço a mente tem para produzir outros pensamentos - e menos reativa ela se torna em seu comportamento. Torna-se mais centrada, consciente, alerta e focada. O interminável diálogo interno silencia, para que algo mais profundo desperte dentro de nós.

Bem, pelo menos por um tempo. Enquanto não estiver iluminado, o diálogo interno continuará no momento em que você perder o foco e a atenção. E tudo bem, desde que você seja o observador real desse monólogo contínuo da mente. O verdadeiro problema começa quando sua mente, com seus sofisticados mecanismos e habilidades, como exagero, na verdade leva você a algumas de suas "ideias brilhantes" - que, falando suavemente, às vezes podem ser apenas algumas das piores decisões que você pode tomar em sua vida. Estes são os momentos em que sua mente se torna seu pior inimigo.

Atenta, me observava por um longo período de tempo, tentando perceber em quais momentos exatos da minha vida, surge a tendência de deixar minha mente "falar" seu monólogo e quando tento ser menos atenta e menos seletiva sobre como permito que ela me influencie. Quando o Inimigo Interior domina o Amigo Interior.

E aqui está o que encontrei: o lado "sombrio" de minha mente sempre se torna muito ativo quanto ... niguém assiste.

Pode parecer bastante trivial, mas é até confirmado pela ciência. Quando estamos em um grupo de pessoas, algo chamado efeito holofotes acontece em nosso cérebro. Quando com outras pessoas, tendemos a superestimar a extensão em que outras pessoas percebem nossas realizações e erros, e, portanto, tendemos a nos controlar e a nos regular mais. (E essa pode ser uma das razões pelas quais praticar o Atma Kriya Yoga em grupo pode ser muito mais eficiente do que quando você faz sozinho!) Adivinhe que, isso também influencia a qualidade do seu diálogo interno. Mesmo que ninguém possa realmente ler seus pensamentos (bem, talvez exceto algum bom médium), quando com outras pessoas, nosso cérebro simplesmente tende a "se comportar melhor". Mas quando estamos sozinhos ... então, no seu cérebro, a festa completa está acontecendo. E o monstro sai da sua caverna.

Para minha grande surpresa, notei que minha mente tende a se tornar mais ativa e negativa, especialmente durante as atividades diárias chamadas "sem cérebro", que envolvem ficar sozinha (para que nenhuma outra pessoa "observe você" ou o atrapalhe em seu diálogo), como o tomar banho, ir ao banheiro ou logo antes de dormir. Se você observar sua própria mente com muita atenção, durante esses momentos específicos, notará que esses serão frequentemente momentos-chave nos quais ela tentará inundá-lo com alguma negatividade. De repente, se lembrará de algo "muito ruim" que alguém fez com você no passado ou que se sentirá inseguro, preocupado com o futuro. Pode até criar uma história inteira, com 10 finais pessimistas alternativos durante uma atividade tão curta como tomar banho! Porque a criatividade da mente não conhece fronteiras.

No entanto, felizmente, você pode ensiná-la a ter alguns limites.

Se você está sério no caminho espiritual, é uma boa ideia começar a observar sua própria mente com mais atenção. Assista, quando ninguém mais estiver vendo. Porque a partir destes momentos, você pode aprender muito sobre si mesmo, suas tendências adormecidas e o que pode melhorar em si mesmo. Depois que percebi que, em vez de deixar minha mente vagar sem rumo, posso continuar repetindo meu mantra enquanto, por exemplo, tomando banho (e tenho certeza de que você pode encontrar muitas outras atividades semelhantes em sua própria programação diária), e comecei implementar a entoação do mantra, especialmente naqueles momentos, quando minha mente estava anteriormente mais inclinada a produzir alguma negatividade, notei uma enorme mudança nela - e em minha vida. Sutilmente, situações de vida difíceis se tornaram muito menos dramáticas, sou capaz de fazer meu trabalho com muito mais eficiência e foco, e sou capaz de encontrar meu centro e paz muito mais rapidamente, mesmo depois de uma turbulência emocional. Porque esse é o poder do mantra - e essa é a bênção que chega a você, quando você pelo menos dá esse primeiro passo para começar a controlar sua mente.

Lembre-se de que sua mente só pode ficar fora de controle quando ninguém está assistindo. Mas quando você se torna observador, já existe alguém acompanhando. E se você puder descobrir esses momentos específicos durante o seu dia, quando sua mente negativa se tornar mais ativa, direcione-os e substitua o diálogo interno negativo pela repetição consciente do mantra ... Acredite em mim, mesmo essa pequena vitória pode mudar muito sua vida.

E será um primeiro passo muito bom para tornar seu Inimigo seu verdadeiro Amigo.


Blog »