Cuidando de si mesmo no caminho espiritual

Thumbnail

Como parte de minhas responsabilidades diárias, sigo uma variedade de blogs, revistas on-line e similares para me manter atualizado sobre os padrões, temas e tópicos atuais do setor de yoga e meditação. Uma coisa que sempre me parece estranha e vagamente desconfortável é o movimento de auto-cuidado.

Isso porque se concentra em cuidar do eu limitado - o corpo e a mente. E embora eu não discorde da necessidade disso, acho que falta o cuidado do verdadeiro Eu. E se estamos perdendo a peça mais vital, estamos perdendo o objetivo e redefinindo a vaidade com a frase auto-cuidado.

O que é o Eu?

Quando falamos sobre o Eu, existe o pequeno eu e o grande Eu. Existe o eu que se identifica com a mente, o corpo e o mundo material. E existe o Eu que é o nosso Ser verdadeiro, puro e eterno, como parte de Deus. Esse Eu é a mesma coisa que a alma.

Qual o propósito do eu do auto-cuidado?

A natureza do Eu é o Amor e seu propósito é Amar. A única coisa que ele sabe é amor. Mas esse Eu está nublado por trás de camadas de karma, negatividade e ilusão.

O auto-cuidado é o ato de se voltar ao Eu, de honrar a alma e de viver de uma maneira que o guiará de volta ao seu verdadeiro Eu.

Como é o auto cuidado?

 

Veganismo

‘Portanto, se você quer ser curado, se deseja atingir um nível muito alto de espiritualidade, mude, você sabe. Torne-se vegetariano. Você verá, como as plantas são leves, isso irá ajudá-lo. Isso o ajudará fisicamente, mentalmente e também espiritualmente. '

-Paramahamsa Vishwananda

Eu era bem jovem e bastante inconsistente quando comecei a explorar o vegetarianismo e o veganismo. Aos catorze anos, tudo que eu sabia é que não queria comer algo que eu mesmo não mataria. Mas alguns anos depois, fiquei doente (não relacionado ao veganismo), mas todos os médicos me disseram para começar a comer carne novamente. Eu comi, mas a decisão nunca me pareceu correta nem a mudança na dieta ajudou minha doença. Eu só parecia ficar mais fraco e doente.

Com o tempo, mudei de médico, tive segundas opiniões e, em algum lugar no meio de tudo isso, naturalmente voltei primeiro ao veganismo. E logo depois, cheguei ao caminho espiritual.

Mas uma das coisas que aprendi com tanta clareza neste momento foi que o que comemos tem um imenso impacto em nossos corpos, mentes e espíritos. Pode não ter sido a carne que me deixou doente, mas certamente foi a carne que me deixou mais doente e prolongou minha doença. O que faz todo o sentido, porque consumir carne é também consumir o karma, o medo, a dor e a raiva do animal que você coloca em seu corpo.

E além disso, esses animais também têm alma. A alma deles é feita da mesma qualidade e energia que a sua alma. Toda a criação é conectada por essa força como pérolas ao longo de um fio. Então, quando você come um animal, nega a própria força que o criou e lhe dá vida. Tudo pela gratificação e prazer dos sentidos do eu inferior.

Tornar-me vegano melhorou minha saúde física, mas principalmente me ajudou a me conectar com minha alma e com Deus.

Babaji Surya Namaskar

‘Então, seu corpo é um templo, você sabe, onde o Senhor reside com todo Seu esplendor e todo Seu Amor. Então, vamos lembrar a todos dessa sacralidade para manter esse corpo saudável. '

-Paramahamsa Sri Swami Vishwananda

Minha relação com Babaji Surya Namaskar oscilou entre estar loucamente apaixonado pela prática e completamente desinteressado. Mas uma coisa que aprendi é que nada fundamenta mais meu foco em Deus e meu objetivo, me dá clareza mental para focar em meu seva e a energia que preciso para o meu dia, do que Babaji Surya Namaskar.

Através do asana, mantra e respiração, o corpo se move com o Nome de Deus. Ao iniciar meu dia com esta prática, o Nome de Deus e meu corpo se movendo juntos, sou chamado a lembrar o propósito sagrado do meu corpo: utiliza-lo como uma ferramenta no serviço e no amor no caminho espiritual.

A qualidade da prática do Sadhana

‘Quando você reservar um tempo para fazer seu sadhana, perceberá a beleza do Amor de Deus, a beleza da vida, e saberá por que está aqui na Terra. Uma vez iniciada esta descoberta, esse toque em Seu amor, o Amor simplesmente fluirá naturalmente. '

-Paramahamsa Vishwananda

Meus dias começam e terminam com uma prática de sadhana. Mas há uma grande diferença entre sentar e praticar meu Kriya ou fazer Babaji Surya Namaskar mecanicamente, ou fazê-lo com amor.

Fazê-lo com amor honra minha alma, me ajuda a construir meu relacionamento com Deus e a sentir Sua presença ao meu redor, a senti-lo sentado ao meu lado enquanto medito e oro.

Uma das melhores maneiras que encontrei para desenvolver uma prática de qualidade foi priorizá-la. Meu sadhana tem seu próprio tempo no meu dia e esse horário, todos os dias, pertence ao sadhana. Somente quando eu priorizei fui capaz de começar a construir e sustentar este relacionamento.

Não existe uma receita perfeita, nenhum ingrediente mágico para guiá-lo nisso. Cada pessoa deve encontrar seu próprio caminho para cuidar e se identificar com sua própria alma. Aqui estão três das muitas coisas que existem e continuam a me apoiar em minha jornada. Mas cabe a cada um de vocês decidir quem deseja cuidar e como fazer isso.

 


Blog »